I2P: a rede super anônima

O que é a I2P?

AI2P é uma rede de sobreposição anônima – uma rede dentro de outra rede. Tem por objetivo oferecer um meio de comunicação protegido da vigilância e do monitoramento por terceiros, como os Provedores de Acesso a Internet, por exemplo. A I2P é usada por diversas pessoas que devem se precaver em relação a própria privacidade: ativistas, oprimidos, jornalistas e informantes, bem como cidadãos comuns desejosos de privacidade. Não existe rede “perfeitamente anônima”. O objetivo permanente do projeto I2P é fazer com que ataques tornem-se cada vez mais e mais difíceis de se arquitetar. O seu anonimato será aumentado na medida em que a rede for crescendo e recebendo contínua revisão acadêmica.

I2P-e1422043812220

O projeto de software hospeda sites que não são acessíveis mediante buscadores comuns, como o do Google, e que, tal qual o Tor, torna anônimo o tráfego jogando-o de proxy em proxy. Cada máquina que usa o I2P atua como um roteador, o que faz o I2P um serviço totalmente descentralizado. Isso é um reforço em segurança, já que o tráfego viaja por diferentes caminhos na rede de forma a frustrar quaisquer tentativas de ataques do tipo “man-in-the-middle.” Todo o tráfego é criptografado de ponta a ponta.

Diferentemente do Tor, porém, ele é uma ferramenta terrível para navegar anonimamente fora do I2P, e por “terrível” quero dizer completamente inútil. O I2P não foi feito para você acessar o Gizmodo, ou o RedTube ou ainda qualquer site desses comuns. Ele foi projetado para acessar “eepsites”, que são os sites hospedados na intranet do I2P. Essa é a diferença fundamental e o motivo pelo qual I2P e Tor são, na realidade, serviços complementares em vez de rivais.

Mais que isso, você precisa baixar um software especial para acessar a rede. É fácil instalá-lo, mas difícil de navegar e a curva de aprendizado acentuada tem servido para manter a comunidade do I2P pequena e enxuta desde a sua criação, em 2003. A maioria dos criadores usam pseudônimos e falam entre si e com outros usuários usando o intimista IRC reforçado com plugins que permitem conversar diretamente entre eles sem um servidor central. Eles não ganham dinheiro para isso e não estão organizados: são um grupo totalmente sem fins lucrativos.

Para você ter ideia de como o I2P é underground, a Electronic Frontier Foundation (EFF), uma fundação de ponta na defesa da privacidade online, ainda não se movimentou para investigar o serviço de anonimato que já tem 12 anos.

“Não encontrei ninguém que já tenha dado uma olhada mais a fundo no I2P,” disse a diretora de relações públicas da EFF, Rebecca Jeschke, por e-mail. “No geral, o pessoal aqui acha o I2P um projeto promissor. É muito importante termos variedade nas soluções fortes de anonimato, privacidade e segurança online. Entretanto, eles disseram que para o uso prático hoje, o Tor está muito à frente em termos de implementação e confiança.”

O que eu posso fazer na I2P?

O time de desenvolvedores da I2P é um grupo aberto, receptivo a todos os interessados emengajarem-se, e tudo tem o código-fonte aberto. A base do SDK da I2P e a implementação atual do roteador são feitas em Java (trabalhamos atualmente tanto com Sun quanto com Kaffe, com suporte para GCJ posteriormente planejado), e há uma API simples baseada em sockets para acessar a rede por meio de outras linguagens (com uma biblioteca C disponível, e Python bem como Perl em desenvolvimento). A rede está em processo ativo de desenvolvimento e não alcançou ainda o lançamento da versão 1.0, mas o nosso cronograma encontra-se detalhado no plano de ação atual.

Saiba Mais

Compartilhe essa Informação