A Coreia do Norte ataca os EUA via DDoS, afirma John McAfee

Na sexta-feira passada (24), os Estados Unidos passaram por um dos maiores ataques DDoS da história. Diversos sites ficaram fora do ar, já que os servidores da Dyn foram atacados com artilharia pesada.

Muito foi levantado para saber quem está por trás desse DDoS massivo — e nenhum grupo declarou autoria. No mesmo dia, um oficial da inteligência norte-americana comentou para a CNBC que os ataque não pareciam ser movidos por governos, como o russo ou o chinês. Porém, a CSO trouxe um relato interessante da lenda da cibersegurança John McAffe: de acordo com ele, a dark web está “repleta de especulações de que a Coreia do Norte é a responsável pelo ataque aos servidores da Dyn”.

Caso você não saiba, a Coreia do Norte possui uma agência de ciberguerra chamada Bureau 121. Segundo McAfee, a agência compreende mais de 2 mil hackers e foi ela quem iniciou os ataques. Ainda, McAfee disse que, se a Bureau 21 realmente for responsável, ela vai levar essa busca por responsáveis para países como China, Rússia, ou algum grupo norte-americano, sem assumir a autoria.

“A Bureau 121 deixou rastros de uma companhia americana que oferece serviços como ataques DDoS. A companhia não foi nomeada por ela. Backconnect é o nome da empresa que a Bureau 121 está tentando sugerir. Essa empresa tem um histórico de alterar endereços de IP, então se torna um ponto perfeito para a história”, comentou McAfee.

Será que estamos perto de uma Guerra mundial?

Embora um oficial da Inteligência dos Estados Unidos tenha dito à CNBC que os ataques não parecem ser patrocinados por governos, muita gente está supondo que o DDoS é uma retaliação russa ao governo norte-americano. Afinal, poucos dias atrás, o vice-presidente dos EUA, Joe Biden, ameaçou entrar em um embate cibernético contra a Rússia, após o surgimento de rumores sobre um suposto movimento russo tentando atrapalhar a campanha da candidata Hillary Clinton.

Outra teoria diz que os ataques estão sendo organizados por apoiadores do WikiLeaks, site de denúncias anônimas que, nos últimos dias, vem publicando materiais sigilosos sobre a política norte-americana. Na manhã de hoje, o perfil oficial do serviço no Twitter publicou uma foto onde é possível ver policiais fortemente armados na frente da Embaixada do Equador em Londres, onde Julian Assange está abrigado em asilo político. Essa suposta ameaça à vida do jornalista teria desencadeado uma onde de ódio por parte dos internautas que o apoiam.

Fonte

Compartilhe essa Informação
Back To Top
Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial