Conheço o novo SO da Google, o Google Fuchsia.

AGoogle vem trabalhando em um novo sistema operacional que é capaz de rodar nos computadores e smartphones mais poderosos. O mais interessante é que ele não se baseia no Linux como o Android e o Chrome OS, mas no Kernel Magenta.

A linguagem utilizada para programar o Fuchsia é o Dart que foi criado pela própria Google, sua interface é construída com Flutter e ainda traz o Escher, um motor de renderização que suporta reflexos, sombras entre outros efeitos visuais.

Kernel Magenta

O Kernel Magenta é derivado do LK (LittleKernel), mas apresenta diferenças bem relevantes como, por exemplo, suportar contas de usuário e as funções de segurança como as permissões.

Como o LK é utilizado nos dispositivos simples que possuem capacidade baixa de hardware e as tarefas bem definidas, o alvo do Kernel Magenta são os smartphones e os computadores mais modernos que possuem processadores rápidos.

Foto Google fuchsia
Foto Google Fuchsia

Objetivo

Ainda não se sabe ao certo qual o objetivo desse novo sistema operacional já que a Google não comenta sobre esse assunto. No entanto, uma parte do pessoal que entende de tecnologia acredita que o Fucsia será uma fusão do Chrome OS com o Android. Afinal, das três grandes empresas dessa área ela é a única que ainda não possui um ecossistema maduro que pode ser usado em PCs e smartphones.

Mas uma parte do pessoal acredita que o objetivo é usar em dispositivos menores que estejam envolvidos com a internet da coisa. Uma prova de que essa versão seria a verdadeira está no seu tamanho que pode ser baixado com 14MB.

O Que são sistemas embarcados

Os sistemas embarcados são completos e independentes. O objetivo dos mesmos é executar apenas a função a que foi destinado, ou seja, eles possuem tarefas pré-determinadas que possuem requisitos específicos que serão executados repetidas vezes.

Em que dispositivos esse sistema vai rodar

O Fucsia ainda é um sistema que está em desenvolvimento e que por esse motivo não se tem muita informação sobre o mesmo. No entanto, pelo que deu para perceber, esse novo sistema pode unificar o Android e o Chrome OS em um único sistema operacional (desde o ano de 2015 que isso tem sido muito especulado).

Existem relatórios que afirmam que esse novo sistema será lançado no ano de 2017. Por isso, acredita-se que o alvo desse software será os telefones e os computadores pessoais modernos que possuam processadores rápidos e valores de RAM não-triviais.

Internet das Coisas

Diz respeito a conexão dos dispositivos eletrônicos que são utilizados no dia a dia com a internet.

Diferença entre o Kernel Magenta e o Kernel Linux

O Kernel Linux é muito grande, robusto, para o que a Google pretende fazer que é usar esse sistema em aparelhos mais simples. Por ser tão grande isso não seria possível. Sendo assim, a empresa não viu outra saída a não ser investir em outro Kernel que não fosse tão robusto.

Foi assim que se chegou ao Kernel Magenta que pode ser baixado com apenas 14 MB de tamanho o que permite que seja usado em dispositivos menores.

O Kernel Magenta só tem uma coisa a ver com o Kernel Linux: o seu comportamento. Ou seja, ele opera com os dispositivos através de módulos que interagem com o hardware.

 

Fonte

Compartilhe essa Informação